Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gato Pardo

Para quem não conhecia, saiam enquanto é tempo...Para quem já conheceu, puxem duma cadeira...Vem aí a versão 2.0...

Porquê, meu Deus. Porquê???

 

Indiana Jones é talvez, umas das personagens mais amadas por algum do pessoal da minha geração.

Sempre gostei dos filmes (embora o quarto já me tenha deixado com um certo amargo de boca), eram bom entretenimento para uma tarde de ócio. Admito que fiquei algo surpreso ao saber que se vai fazer um quinto filme da saga, o que me levou de imediato a inúmeras questões.

- Harrison Ford não tem por esta altura 76 anos?

- O gajo vai andar a perseguir artefactos históricos ou vai ser um deles?

- Como é que o filme se vai chamar? Indiana Jones e a Anca Perdida?

- Porque é que os estúdios teimam em mexer em sagas que estavam boas quietinhas e têm de fazer mais um filme com alto índice de probabilidade de correr mal?

- Será que o Sean Connery volta a aparecer como pai? Afinal de contas, só tem 85 anos e ainda deve estar aí para as curvas também.

Vamos ver no que isto dá. Só espero não ver o Indiana Jones a comer caldo verde por uma via intravenosa enquanto assiste ao programa matinal da Maria Helena e joga à bisca lambida.

Este conceito de multiusos actual é muito à frente...

Na visita de hoje ao supermercado e enquanto cuscava as compras da gaja da frente (sim, é uma espécie de fetiche...Como o marido dela tinha ar de quem podia terminar a minha existência ali mesmo no tapete rolante das compras, entretenho-me a observar a alface, a garrafa de vinho tinto rasca e as 4 bolinhas de mistura...), dou-me conta de uma expressão hoje em dia utilizada em centenas de produtos do nosso dia a dia...

Multiusos...

Eu não só sou do tempo em que os detergentes tinham brindes lá dentro para os putos (mostrando total desinteresse sobre o facto de muitos putos desatarem a comer o detergente à colherada na ânsia de chegarem ao brinde mais depressa) como sou do tempo em que um determinado produto tinha apenas uma função...

O detergente para lavar a roupa à mão, por muito chocante que isto possa ser para vocês, servia unicamente para lavar a roupa...E ainda por cima, à mão...O TV Rural, servia para nos chatear os cornos porque na nossa tenra idade a última coisa que queríamos descobrir era que as nossas amadas batatas fritas eram na verdade um tubérculo (daí que na minha escola havia um grupo de verdadeiros amantes de batatas fritas apelidados de tuberculosos...) que era cultivado na terra...Ou que as garrafas verdes de Sonasol, serviam unicamente para lavar a loiça e não eram de forma alguma, versões de litro de 7Up...

Hoje em dia, não...Parece que a expressão multiusos difundiu-se por toda uma panóplia de produtos o que leva muitos consumidores a questionarem-se sobre a real utilização que devem dar aos mesmos...Vejamos alguns exemplos...

- Luvas multiusos...Bem, da última vez que eu vi, as luvas serviam para um tipo enfiar as ditas nas mãos...Com a evolução da humanidade e o poderio financeiro da população em baixo, suponho que a expressão multiusos se deve ao preço excessivo dos preservativos hoje em dia, o que leva os rapazolas a considerar as luvas uma alternativa mais barata às caixas de 12 unidades de preservas...

- Detergentes multiusos...Servem para lavar a loiça, o chão, o tecto, o cão, a patareca e se um gajo for imaginativo, até deve dar para fazer uma boa sangria. Tirando a parte da espuma, ninguém deve dar pela diferença.

- Cadeiras multiusos. Antigamente, estas apenas tinham uma função (que era um gajo sentar lá a peida). Mas com o avançar dos anos, ganharam toda uma nova panóplia de utilidades como armas de arremesso em processos de divórcio ou uma boa alternativa sexual ao quarto (nunca se sabe quando a fome aperta e se tem o jantar ao lume. Convém ficar por perto da cozinha).

- Maquilhagem multiusos...Imagino que sejam eyeliners com a capacidade de disfarçar riscos no carro. Sim, como naquela noite em que apanhaste uma cadela de tal ordem que não te recordavas dos últimos 6 anos da tua vida e que deixaste a tua mulher de tal forma f*dida da vida que ela fez do teu carro uma obra do Dali com o conjunto de facas de cozinha que lhe ofereceste pelos anos.

- Desodorizantes multiusos. No meu tempo, um desodorizante era isso. Mas agora? Nãooooo.....São desodorizantes, cicatrizantes, bactericidas, fungicidas e o diabo a sete. A questão que se coloca é...a que raio é que aquela m*rda cheira? Soda cáustica? E há lá coisa mais sexy que um homem a tresandar a soda cáustica... Ai, querido...esse aroma a canos desentupidos deixa-me louca de todo...

- Caldos multiusos. Caldos multiusos??? Sim, realmente na minha juventude conhecia um fulano que dizia que caldos de galinha da Knorr batiam forte e feio. Só se for esse tipo de multiusos.

- Decapante líquido multiusos. Cara leitora, está farta do seu marido? Tem uma sogra que quer mandar sorrateiramente para a quinta das tabuletas? Vai a um daqueles jantares de ex-colegas de turma mas preferia estar sossegada em casa a esvair-se em sangue? Pertence a uma seita que quer ir ter com os marcianos e o cianeto está caro? Temos a sua solução...

- Termómetros de penetração multiusos. Não sei porquê mas a partir do momento em que é um termómetro de penetração, deixa imediatamente de ser multiusos...

 

Caso estejam a pensar, não. Não fiz uma investigação extensiva durante meses a fio para escrever este post. Isto não é Sexta às 9, porra.

Boas razões para adorar (ou não) os idosos. Porque um dia, vamos todos ser bem piores do que aqueles que conhecemos. Eu sei que vou...

12558630_1507476796228551_1419335386_n.jpg

Há várias coisas que me fazem adorar os nossos cidadãos seniores. Senão vejamos...

 

- Muitos são verdadeiros James Deans do sec. XXI. São perigosos (conduzem mal como a m*rda) e teimosos (se acham que o carro foi feito para andar a 20 km/h, é porque foram, porra!) Verdadeiros rebels without a cause (rebeldes porque alguns se recusam a usar fraldas para a incontinência, sem uma causa porque o Alzheimer não lhes permite recordar qual é que era...).

- São possuidores de um vernáculo super extenso (algumas expressões já nem sequer existem, outras nunca existiram a não ser naquelas cabecinhas dementes e outras ainda, são uma mescla de demasiado Viagra, comprimidos para a diabetes, Calcitrim tomado por via intravenosa e demasiado tempo a ver a Quinta das Celebridades).

- Têm um sistema de GPS embutido de fazer inveja a qualquer NDrive ou coisa que o valha (eles conhecem todo e qualquer jardim onde se jogue à sueca ou ao dominó na Península Ibérica enquanto elas conhecem o paradeiro de toda a qualquer amiga a qualquer hora, estejam elas no café, na cadeira de baloiço a fazer croché ou na rebaldaria com o enfermeiro do centro de dia).

- Têm histórias para contar sobre tudo e sobre todos (inclusive acontecimentos em que humanamente foi impossível estarem presentes como por exemplo, aquela vez em que embebedaram o Napoleão de tal maneira numa tasca ali para os lados do Cemitério dos Prazeres que o colocaram a cantar uma versão reggae do "Deixa-te de M*rdas" do Agir. Sim, eles são muito coerentes...).

- Estão moderadamente familiarizados com as novas tecnologias (tirando aqueles esporádicos casos em que misteriosamente aparecem ratoeiras perto dos computadores, na vã esperança de apanhar aquele maldito rato de que eles andam sempre a ouvir falar...).

- Alguns deles são exímios bartenders, sendo responsáveis por cocktails super improváveis (o Parkinson é uma mais valia).

 

Eu tenho a absoluta certeza que quando chegar à terceira idade, vou ser um verdadeiro inferno. Vou comprar um papa reformas, artilhá-lo, espetar com um subwoofer na bagageira, andar no picanço na Vasco da Gama ao som de Roberto Leal enquanto me esforço a cada cinco segundos por me recordar como é que raio fui ali parar enquanto faço mojitos com as garrafas do mini bar que vou instalar no lugar do pendura. Isso e o constante tráfico de comprimidos coloridos no Centro de Dia que na realidade, não vão passar de Smarties.

Mal posso esperar.

O Sr. Amável e o Sr. Gato Pardo "Não aguento tanta amabilidade num dia só..."

Posso dizer com alguma autoridade que já apanhei de quase tudo na estrada.

Mulheres a depilarem-se, homens a aparar as sobrancelhas, putos a sacar burriés do nariz do tamanho de travesseiros de sintra, até pessoal a fumar, vejam lá o escândalo.

Mas o que me mói mesmo as entranhas são os senhores amáveis.

Os senhores amáveis são aquela estirpe de condutor que quer ser tão amável mas tão amável que só apetece ultrapassar, guinar o carro à frente dele, sair, puxá-lo pelo vidro cá para fora e dar-lhe com a tola no capot do carro dele...só para ver se alguma da amabilidade sai pelas orelhas.

O senhor amável do Mercedes que ia à minha frente numa estrada nacional decidiu que estava na hora de ter alguma amabilidade para uns senhores que saíam de um parque. Trava o carro a fundo, quase que cria ali um acidente de proporções épicas, muita borracha queimada. Pessoal atrás de mim a apitar feitos loucos e eu ali metido no meio da embrulhada. Nada contra ser amável para com outras pessoas, mas quando a amabilidade vai de encontro a um sinal STOP, um parque de estacionamento de camiões TIR e um acesso a uma estrada nacional a coisa muda ligeiramente de figura.

6 camiões TIR depois, 3 cigarros fumados e ter amaldiçoado toda a família do Sr. Amável em silêncio, lá se seguiu caminho. 5 minutos depois, o Sr. Amável decidiu que ainda não se tinha armado em escuteiro em demasia para um dia só e saca da sua próxima boa acção. Parou numa passadeira...onde não se via vivalma...não se ouvia um som...nicles batatóides...isto porque não estava ninguém para atravessar a passadeira. Mas como estava a uma senhora no prédio ao lado da passadeira a estender roupa interior, ele decidiu parar ali uns minutitos não fosse dar à senhora uma quebra de tensão e ela cair da janela...do rés do chão!

Pronto, aí passei-me. Não me recordo na totalidade de tudo que verbalizei mas tinha algo a ver com o símbolo do Mercedes inserido em alguns orifícios sensíveis e o cabo de embraiagem à volta do pescoço. Coisas subtis, nada de muito puxadito...

Ok, a amabilidade faz parte do ser humano. Mas não exagerem, porra.

Sexo fraco, my ass... É por isso que os homens não pescam um corno do universo feminino

Por três vezes, ouvi hoje o argumento de que as mulheres são o sexo fraco.

Uma, porque não carregam garrafas de gás.

Duas, porque são fisicamente mais frágeis.

Três, porque sim.

Newsflash.

As mulheres são o sexo forte.

Uma, porque sabem que podem encomendar as garrafas do gás e vão entregá-las a casa. Chama-se inteligência.

Duas, vão ver o MMA feminino e logo vêem o quão frágil é a campeã. Chama-se "I will kick your f*cking ass".

Três, simplesmente porque sim. Que basicamente, é o argumento mais válido de todos.

Eu sobrevivo na boa sem o meu telemóvel. AGORA DEVOLVAM-MO, PORRA!!!

Toda a gente sabe do meu conflito armado com telemóveis.

Necessito dele mas odeio-o de morte. Odeio-o ainda mais quando o gajo decide morrer. Bem, não foi bem uma morte. Foi tipo ser atropelado por uma manada de rinocerontes em fúria em pleno êxtase de cio e ficar ligado ao ventilador às postas.

Resumindo? O ecrã touch já não é tão touch quanto isso. E um telemóvel touch quando deixa de ser touch é tão útil quanto um homem sem um pénis. Ocupa espaço.

Já lá vai um tempito que deixei o bicho (o telemóvel, não o bicho propriamente dito. Esse anda comigo para todo o lado) na assistência. Hoje decidi lá dar um salto.

- Oi. Venho ver se o meu telemóvel já ressuscitou ou se vocês lhe deram a extrema unção...

- Excelente questão...

- É, não é? Pois, mas o que me interessava mesmo era uma resposta, não o salientar da minha parábola bíblica. No que ficamos, habemus telemóbili ou num habemus ponta dum cornu?

- Por enquanto, num habemos nada. Mas por norma, estas reparações demoram cerca de 30 dias.

- 30 dias para trazer um aparelho do reino dos mortos? Não entendo, caraças. Existem comprimidos que demoram 30 minutos a dar vida a coisas bem mais mortas que o meu telemóvel.

- Pois. Já consideraste um equipamento novo? Sabes que o mundo da tecnologia está constantemente a evoluir...

- Eu saber, sei. Não me estava era a apetecer gastar dinheiro. Sim, basicamente é só isso.

Os 30 minutos seguintes foram passados a ver telemóveis. Todos com os seus pontos fortes, pontos fracos, designs saídos da Moda Lisboa, intensidades várias de vibração para utilidades alternativas para o sexo feminino, etc.

- Então, o que achas?

- Sinceramente? Acho inacreditável teres 300 alternativas diferentes cuja função principal não é de todo a sua principal característica. Mas lá está, vivemos num mundo tecnológico em que a simples chamada telefónica já não é a principal razão para ter um telefone, certo?

- Hã...não é bem assim...

- Ouve, acabaste de me mostrar um equipamento que acede a 300 redes sociais, descarrega 98754435 aplicações da net, tem um cartão de memória que alberga mais pornografia do que aquela que existe actualmente disponível, uma câmara XPTO que tira selfies com qualidade de National Geographic...portanto, diz-me que estou errado...

- Hã...Pois, o teu telemóvel deve estar pronto daqui por umas semanas. Eu depois ligo-te a avisar.

- És o meu guru dos telemóveis. See ya.

Ponto da situação. Um equipamento em reparação, um telemóvel antigo super viciado em utilização e muita transpiração (não por causa do telemóvel mas simplesmente porque está um calor dos diabos). Raios parta a tecnologia.

Filosofia de irmãos

É sempre bom passar tempo com a irmã felina.

Ok, ela é uma besta (tem a quem sair), tem um mau feitio que vai de Gotemburgo a Sidney (tal como eu) e uma língua deveras afiada (esse pormenor, não sei a quem sai...). O que proporciona momentos de dissertação filosófica muito interessantes sobre os assuntos mais banais que existem.

Um pequeno excerto da nossa tarde.

 

- Olha lá, quando é que deixas de beber essa zurrapa? - dsse ela.

- Zurrapa? Ó meia leca, isto é whisky de malte 20 anos. Tem quase a tua idade, pá.

- Grande treta. Já tens idade para ter melhor gosto.

- O quê? Beber aquelas misturas esquisitas que tu bebes e que negas à entidade paternal que o fazes? Não sei se sabes mas beber vodka preta deixa vestígios. Portanto, ou cada vez que sais à noite comes chocos ou então vais ter de subir a parada em desculpas da treta...

- Olha, diz-me uma coisa. Qual é o teu conceito sobre manipulação?

- Shows de marionetas? Odeio. Nunca gostei dessa bonecada tirando os Marretas. Tu gostavas, ofereci-te um Cocas quando eras pequena.

- Não, parvo. Manipulação mesmo...

- Somos todos profissionais nela. Doutorados sem licenciaturas.

- Como assim?

- Simples. Já foste criança, não foste? Aliás, para mim serás sempre uma pita. Então aprendeste precocemente o conceito de manipulação. Chateaste os pais para obteres o que querias, choraste, berraste, atiraste-te para o chão, penduraste-te no candelabro da sala...

- Sério, eu pendurei-me no candelabro?

- Nao, isso sou apenas eu a acrescentar dramatismo a todas as tretas que armaste. Minha petit fleur, a vida funciona desta forma... Todos nós temos um conhecimento profundo de certos aspectos negativos ou menos bons da personalidade humana. A verdadeira questão de um milhão de dólares é se fazes uso desses mesmos aspectos ou não. Basicamente é aquilo que te digo à anos. Todos conhecemos as regras do jogo, a questão é se o queres jogar ou não.

- Hummmm...

- Isso quer dizer o quê?

- Ficas muito filosófico quando bebes...

- É...E a menina fica muito eufórica. Bebe e cala-te...

- Eufórica?

- É...Tens de começar a ir a sítios onde o barman não saiba quem tu és e o mesmo não tenha o meu nº de telefone. Tal como te disse, serás sempre a minha pita piquena. Logo, tenho de olhar por ti, mesmo que vomites uma coisa fluorescente no balcão de um bar no Bairro Alto...

5 coisas que deviam ser proibidas nos arraiais dos santos populares

Cerveja fresca.

Couratos.

Bifanas.

Entremeada.

Entrecosto.

 

Porquê?

Porque adoro isto tudo. Não necessariamente por esta ordem e muito menos limitado a uma unidade de cada. Ou seja, os santos populares são a minha desgraça calórica.

Bah, que se lixe. Para a semana corro o dobro dos kms.

Raios parta...

As lições que um homem adulto aprende quando é convidado para uma festa de putos

Caríssimos, eis um pequeno guia de coisas a evitar na festas infantis.

 

- Vão a uma festa de aniversário cheia de pirralhos aos saltos, aos berros e a correrem de um lado para o outro? Parabéns! Foram contemplados com umas horas da mais aterradora experiência chamada "Rainbow Loom Zone". Sim, eu não sabia o que era esta m*rda até ter cometido o erro crasso de perguntar à aniversariante de 5 anos. Em 10 minutos, vi-me coberto de pulseiras feitas de elásticos, um berloque todo catita e um colar colorido que me deixa mesmo com aquele ar badass que eu tanto gosto...NOT!

Se não querem parecer uma árvore de Natal, não perguntem. Fujam, escondam-se dentro do frigorífico, pendurem-se no estendal. Vale tudo!

 

- Sentem um ligeiro aroma a fritos vindo da cozinha? Inebriante, estimulante, quase sexual para as papilas gustativas? Fujam. É a avó da aniversariante que domina a arte de cozinhar todas aquelas coisas que um gajo gosta mas que ao mesmo tempo faz disparar o colesterol para valores próximos dos 27.549. Abram o frigorífico e encharquem-se em algo fresco com conteúdo alcoólico. Resolve o problema temporariamente. Sim, porque a partir da sétima ou oitava jola, vocês estão-se a borrifar para o colesterol e marcha tudo à frente.

 

- Nunca em circunstância alguma acedam a ajudar a aniversariante numa "experiência". Podem acabar num sofá com um kit de maquilhagem da Barbie. E mais não digo.

 

- Balões! Balões! Balões! Resistam à tentação de se armarem à Cristiano Ronaldo à frente dos miúdos. Se um ficar lixado da vida, vai agarrar no balão, sentar-se em cima dele e rebentá-lo à vossa frente. Ah, e depois vai olhar para vocês como quem diz "you're in my backyard now, bitch...".

 

- Comer um bolo das princesas do Frozen não conta como uma ménage a trois. You wish...

 

- Limpar a boca a um guardanapo da Minnie também não conta como cunnilingus. You wish...AGAIN!

 

- E para terminar, nunca desafiem ou aceitem um desafio de jogar algo num tablet ou numa consola com os putos. Eles não só vão destruir (literalmente) cada molécula do vosso ser como vão pegar no que resta de vocês, varrer o chão do quarto com a vossa carcaça e espalhar os vossos restos mortais pela sala em forma de humilhação completa enquanto berram "Ele não joga nada. Até o meu namorado que tem 4 anos faz melhor...". Nas palavras do imortal Mortal Kombat, Fatalilty...

Uma caixinha catita que permite pesquisar as entranhas dos últimos anos de posts. Muito útil, principalmente porque nem eu já me lembro de metade do que escrevi...

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Calendário

Agosto 2018

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Licença

Licença Creative Commons
Este obra para além de estar razoavelmente bem escrita (se assim não fosse, não havia tanta gente a plagiá-la), está também licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D